Salvador-BA:Homem diz que vai marcar batizado e assalta Igreja de Nazaré

   (Foto: mauro Akin Nassor)

Funcionária tem arma apontada para cabeça e assaltante leva notebook e celulares; padre conta em vídeo como foi ação


A celebração era em homenagem ao Dia das Mães, mas, além de exaltar a importância do amor materno dentro das famílias, o padre Nilberto Gonzaga, 52 anos, pediu algo inusitado aos fiés: "Se alguém puder nos doar um celular ficamos muito agradecidos", disse. O pedido aconteceu na missa deste domingo, dia seguinte ao assalto que, além de ter deixado a igreja sem o celular e um notebook, deixou em choque duas secretárias e uma fiel da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, no bairro de Nazaré, Centro de Salvador.

Por volta das 10h de sábado, um homem se aproximou da igreja com o pretexto de que queria marcar um batizado. Uma das secretárias então abriu o portão. Em seguida, ele sacou a arma, anunciou o assalto e recolheu os objetos. Segundo o padre, que finalizava justamente um batizado enquanto o assaltante agia, ao todo o homem levou o celular de uma das secretárias, o celular de uma fiel que marcava a data do casamento e o notebook e o celular da paróquia.

Ninguém ficou ferido. "Ele pediu para marcar o batizado e a funcionária abriu a porta como faz com qualquer outra pessoa. Assim que entrou ele botou uma pistola na cabeça da secratária e pediu para passar tudo. Ele foi catando o que via pela frente", contou o padre. "Depois, ainda saiu com a arma ameaçando todo mundo na rua".

As funcionárias da igreja prestaram queixa na 1ª Delegacia (Barris), que investiga o caso. Testemunhas disseram que homem armado, que não usou nenhum tipo de artifício para esconder o rosto, agiu com dois comparsas. "Depois eu soube que outros dois estavam aqui na porta dando cobertura", destacou o padre. A igreja não possui circuito interno de câmeras de segurança. "Estamos em reforma e a nossa ideia é justamente instalar essas câmeras. Infelizmente não deu tempo de fazer isso antes do assalto", lamentou Isaías Nery, coordenador da pastoral de comunicação da igreja.


O padre disse que os ataques a fiéis que frequentam a igreja são comuns. "Estamos rodeados de marginalidade. Temos pouca segurança diante da quantidade de marginais. Vários paroquianos já foram assaltados nos carros, antes e depois das missas.A gente pede à polícia que faça uma ronda mais constante", disse Padre Nilberto, confirmando que esse foi o primeiro assalto à mão armada dentro da igreja. Construída em 1726, a igreja de Nazaré possui diversas peças sacras valiosas. Mas, o religioso confirmou que nenhuma obra foi roubada. Fiéis que participavam da missa em homenagem às mães estavam assustados. "Soube do assalto durante a missa. Muita gente reclama de assaltos e furtos aqui nas redondezas", confirmou um dos frequentadores, que preferiu não se identificar.

A Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré também é conhecida pelo trabalho social que realiza com moradores de rua, bastante numerosos na região, especialmente da Praça Conselheiro Almeida Couto. Muitos usuários de drogas também frequentam o local. "Há muitos arrombamentos de carros e furtos aqui. Mas, a gente não pode afirmar que foi um usuário ou morador de rua. Sabemos, porém, que quem fez isso se aproveitou dessa movimentação para saber como agir", disse o coordenador da Pastoral da Família, que também é policial militar e preferiu não revelar o nome.

Uma vez por semana, todas as tardes de terças-feiras, os paroquianos da igreja de Nazaré disponibilizam um sopão para pessoas carentes. Uma vez por mês também são distribuídas cestas básicas a 120 idosos cadastrados. A igreja também mantém uma casa de acolhimento em um imóvel anexo que atende pacientes e seus acompanhantes das cidades do interior que estão em tratamento médico na capital e não têm condições de se hospedar em Salvador.

Segundo a Polícia Militar, o policiamento da área é de responsabilidade da 2ª CIPM, que, segundo nota enviada pela assessoria de comunicação, "emprega em sua ações rondas que atuam diuturnamente realizando abordagens preventivas". A nota afirma ainda que há poucos registros de ocorrências na delegacia da região. "A ausência de registros, colhidos na delegacia da área, não subsidiam o emprego do policiamento no local. É importante salientar ainda que o cidadão deve registrar as ocorrências na delegacia, pois a PM trabalha a partir dos dados estatísticos de cada área".


https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/homem-diz-que-vai-marcar-batizado-e-assalta-igreja-de-nazare/



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial