Itapetinga Acontece

Páginas

  • Quem Somos?



  • Em virtude do avanço da Coronavírus no Brasil, A CDL  - Câmara de Dirigentes Lojistas de Itapetinga, seguindo as orientações do Ministério da Saúde e da CNDL - Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas divulga as seguintes diretrizes em relação aos procedimentos que devem ser adotados pelos seus associados e comércio de modo geral.
    Atendimento ao Público
    – A CNDL orienta aos seus associados que, em suas áreas de atendimento ao público, seja disponibilizado álcool gel aos clientes, e que a frequência de limpeza de pisos, corrimãos, maçanetas e banheiros seja feita com álcool 70% ou solução de água sanitária.
    – O atendimento presencial deve ser feito a uma distância de, pelo menos, um metro entre as pessoas, e os atendimentos ao público externo, assim como visitas fora do ambiente de trabalho, devem ser substituídos por contatos por meios digitais.
    – As reuniões devem ser substituídas por contatos telefônicos, videoconferências, e-mails e redes sociais.
     Colaboradores
    – Os colaboradores que pertencem ao grupo de risco (idosos, diabéticos, hipertensos, pessoas com insuficiência renal e tenham doença respiratória crônica) devem, se possível, serem orientados a realizarem suas atividades home office.
    – Devem ter utensílios individuas (copos, xícaras, talheres, etc.).
    – Todos colaboradores com suspeita de vírus devem imediatamente ficar em isolamento em suas residências.
     Eventos e reuniões
    – A CNDL orienta que as entidades do sistema evitem reuniões e eventos presenciais. Desta forma, todas as agendas da CNDL previstas até o final do mês foram canceladas.
    – No lugar dos encontros presenciais, dar preferência às videoconferências e às chamadas telefônicas.
     Ministério da Saúde
    A CNDL segue as orientações emitidas pelo Ministério da Saúde (MS). O órgão desenvolveu aplicativos com dicas de prevenção, descrição de sintomas, formas de transmissão, mapa de unidades de saúde e até uma lista de notícias falsas que foram disseminadas sobre o assunto. Os aplicativos estão disponíveis para usuários dos sistemas operacionais iOS e Android.
    Com o objetivo de alertar e esclarecer a população sobre as Fake News qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede. O número é (61) 99289-4640.
    Informamos que o comércio está funcionando em horário normal, e ressalta que a adoção destas medidas é primordial para a prevenção da disseminação da doença.
    Estamos mantendo contato com o Sindicato Rural e Poder Público Municipal, acompanhando as tratativas quanto a realização da Exposição Agropecuária e Festejos Juninos.
     Estamos à disposição e contamos a colaboração e o esforço de todos.

    Diretoria da CDL de Itapetinga

    ITAPETINGA :COMUNICADO DA CDL SOBRE AS MEDIDAS PREVENTIVAS AO CORONAVIRUS - COVID 19

    O paciente é do Estado de São Paulo


    Morreu a primeira vítima de coronavírus no Brasil. O paciente, do Estado de São Paulo, tinha 62 anos. A informação é da Secretaria da Saúde de São Paulo. De acordo com o portal G1, o homem tinha histórico de diabetes, hipertensão e hiperplasia prostática. 
    Haverá entrevista coletiva às 13 horas, da secretaria paulista, para dar detalhes sobre o caso.
    Na cidade de São Paulo, foi publicado nesta terça-feira, 17, o decreto de emergência.
    Os primeiros casos de coronavírus no Ceará foram confirmados na noite de domingo. Na tarde de segunda-feira, 16, o número já havia triplicado.
    O Governo do Estado do Ceará anunciou série de medidas para conter a pandemia.
    O Covid-19 é causado pelo coronavírus Sars-Cov-2.

    Por que se chama coronavírus?

    O nome "corona" se deve à coroa de espinhos que o envolve. Esses espinhos estão envolvidos por uma camada de gordura - retirada das próprias células humanas. Ele entra nessa capa de gordura para invadir outras células. Sem esta fina capa de gordura, o coronavírus morre.

    Como é a transmissão do coronavírus?

    Os coronavírus são transmitidos por ar e por mucosas. O vírus sobrevive bastante tempo em gotículas de espirro e tosse. Para evitar contaminação por meio das gotículas, recomenda-se ficar a pelo menos um metro e meio de pessoas com tosse ou espirrando.
    O vírus também está em gotículas aerossóis. Elas são tão minúsculas e finas que ficam suspensas no ar, e contaminam principalmente pessoas que estão em ambientes fechados com ar condicionado.

    Veja as recomendações da OMS para prevenir o novo coronavírus:

    Lave as mãos frequentemente

    Lave as mãos regularmente com álcool em gel ou com água e sabão. O álcool e o sabão matam vírus que podem estar nas mãos.

    Mantenha distância social

    Mantenha ao menos um a dois metros de distância entre você e pessoas que estejam tossindo ou espirrando. O vírus do Covid-19 é transmitido por gotículas que estão nos corrimentos nasais e saliva. A distância entre pessoas com sintomas de gripe evita que as gotículas cheguem a você.

    Evite ficar tocando os olhos, nariz e boca

    As mãos tocam todos os tipos de superfície e podem pegar vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz e boca. De lá, o vírus pode entrar no organismo e adoecer você.

    Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar

    Quando estiver rodeado de pessoas, cubra a boca com a dobra do cotovelo ao espirrar ou tossir. Também é possível usar lenços, que devem ser descartados prontamente depois do uso - dobre-os com a parte usada para dentro, a fim de evitar que o vírus se espalhe.

    Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde

    Se você está se sentindo mal, fique em casa. Caso tenha sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde mais próximo. A partir da ligação, os agentes de saúde indicarão o que você deve fazer: se deve ficar em casa, se encaminharão um profissional, ou se você pode ir a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

    Quais os sintomas do novo coronavírus?

    Os sinais do novo coronavírus se assemelham ao de uma gripe comum:
    - Febre
    - Tosse seca
    - Cansaço
    - Dificuldade para respirar em alguns casos
    - Pode haver dores no corpo
    - Congestão nasal
    - Coriza
    - Dor de garganta
    - Há casos de diarreia
    - Pode haver infecção do trato respiratório inferior, como nas pneumonias.
    Há pessoas que não desenvolvem nenhum sintoma.
    Período médio de incubação: cinco dias, com intervalos que chegam a 12 dias - período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

    Morre primeira vítima de coronavírus no Brasil, aos 62 anos


    O primeiro participante de um ensaio clínico para uma vacina experimental contra o novo coronavírus receberá uma dose neste segunda-feira, de acordo com informações de um funcionário do governo americano divulgada pela agência de notícias Associated Press.

    Em fevereiro a startup biofarmacêutica americana Moderna havia comunicado que sua vacina contra o coronavírus estava pronta para testes clínicos e que esperava iniciar os ensaios clínicos com voluntários saudáveis até o final de abril. Porém, a empresa decidiu iniciar os testes da vacina diretamente em humanos, sem passar pelo protocolo padrão de teste em animais.
    A Moderna desenvolveu um mecanismo de imunização inédito, não há nenhuma outra vacina que utilize a mesma técnica. A vacina usa uma molécula chamada RNA mensageiro (RNAm). No nosso organismo, o RNAm transmite informações contidas em nosso DNA para os ribossomos e possibilita a produção de proteínas.
    A nova vacina utiliza RNAm sintético estimulando o organismo a produzir proteínas iguais às do coronavírus. A ideia é o organismo aprenda a reconhecer essas proteínas que são semelhantes aos do coronavírus para quando o organismo for infectado com o novo coronavírus já saiba identificar e combater o vírus.
    O anúncio do início dos testes em humanos gerou críticas da comunidade científica que alega que a decisão de pular os ensaios pré-clínicos põe em risco a saúde dos voluntários e é contrária a ética científica. Outro fator agravante é que a vacina utiliza um novo mecanismo inédito o que pode aumentar os riscos.
    O laboratório vai realizar o teste com 45 pessoas entre 18 e 55 anos, que vão tomar duas doses da vacina com intervalo de um mês. Cada cobaia receberá US$ 100 por visita feita ao Instituto de Pesquisa em Saúde de Seattle (EUA) ao longo do estudo, e serão realizadas 11 visitas, o que vai render cerca de 5 mil reais a cada participante.

    Sobre a Moderna
    É uma startup norte-americana que se dedica ao desenvolvimento de vacinas personalizadas para doentes oncológicos, foi também responsável por grandes conquistas nos tratamentos do surto de zika em 2015. Agora é uma das empresas que está à frente das pesquisas por uma vacina contra a Covid-19, a sua vacina introduz no organismo uma imitação da proteína que existe na superfície do vírus.

    Texto por Fábio Reis para PFARMA
    * A reprodução é permitida, desde que citada a fonte com link para https://pfarma.com.br 

    Começa os testes em humanos da vacina experimental contra o coronavírus



    Cientistas brasileiras, Ester Sabino, diretora do Instituto de Medicina Tropical da USP e Jaqueline Goes de Jesus, pós-doutoranda na USP, em apenas 48 horas sequenciaram o genoma do coronavírus (COVID-19) do primeiro caso da doença confirmado no Brasil.

    E para entender mais sobre esse sequenciamento do coronavírus, o Blog da Saúde conversou com duas pesquisadoras que fazem parte do grupo, a Dra. Camila Malta Romano, pesquisadora científica dos LIMs do Hospital das Clinicas e do Instituto de Medicina Tropical e a professora.

    Dra. Maria Cássia Jacintho Mendes Corrêa, Professora Associada do Departamento de Doenças Infecciosas (USP) e coordena o Ambulatório de Hepatites Virais do Hospital das Clínicas (USP), para entender melhor esse assunto. Confira: 

    1. Inicialmente pode nos explicar o que seria um sequenciamento de genoma?
    Sequenciamento é a leitura do genoma de um organismo. Todos os organismos vivos são compostos por DNA, ou RNA. Tanto um como outro são formados por um conjunto de letras (bases nitrogenadas) que funcionam como um código (palavras). Por exemplo, cada trinca de bases nitrogenadas – letras- representam um aminoácido, que nada mais é do que um bloquinho utilizado para construir as proteínas de um organismo. Portanto, como analogia, entenda-se que o genoma é o conjunto de palavras de um livro, que só pode ser lido se cada letra de cada palavra for corretamente identificada. No caso da coronavírus, seu genoma é de RNA.

    2. De que forma é feito um sequenciamento?Ha diversas formas atualmente de sequenciar um genoma, ou parte dele. Uma das maneiras mais básicas, e utilizadas por várias plataformas de sequenciamento utiliza marcadores acoplados as bases (letras) chamados de fluoroforos. Basicamente, fazemos uma cópia do DNA a ser sequenciado, utilizando para a síntese dessa cópia essas bases com marcadores no lugar das bases (letras) comuns que estão sendo copiadas. Após feita a cópia utilizando marcadores coloridos/fluorescentes, um aparelho “escaneia” esse DNA marcado, e interpreta as cores dos marcadores utilizados para sintetizar esse DNA. Essa interpretação, portanto, nos retorna qual é a sequência certinha das bases nitrogenadas (letras) que compunham o DNA copiado.

    3. Como vocês chegaram ao sequenciamento do coronavírus?
    Uma tecnologia chamada MinION, uma plataforma já utilizada em projetos anteriores aqui no Brasil para o sequenciamento de ZIKA vírus foi usada.

    4. Como foi possível realizar este sequenciamento em apenas 48 horas? Normalmente, qual seria o tempo para tal descoberta?
    Quando protocolos estão estabelecidos, não demora muito para realizar. O grande feito aqui foi que não havia ainda nada pronto aqui, não se tinha padronizado a técnica para o genoma de coronavírus, portanto, essa etapa, de padronização geralmente é mais demorada e pode levar dias ou semanas, a depender da dificuldade. O Grupo que o fez realizou essa padronização em tempo recorde.

    5. Por que a descoberta do sequenciamento do coronavírus é tão importante?
    Para o desenvolvimento de vacinas e drogas para tratamento é fundamental saber qual é a real diversidade do patógeno. Por exemplo, o HIV sofre mutações no seu genoma muito facilmente, o que dificulta não somente o desenvolvimento de uma vacina (outros fatores também estão envolvidos na dificuldade em produzir uma vacina para o HIV) mas também a drogas eficientes. Não é incomum pacientes com HIV desenvolverem “resistência” ao medicamento. Isso ocorre não porque o paciente ficou resistente, mas sim o vírus! Portanto, saber como o coronavirus se comporta em nível gnômico pode ajudar a desenvolver drogas eficientes. Além disso, através do genoma dos vírus é possível saber qual a rota de transmissão (por exemplo, se os vírus que chegaram aqui são provenientes da China, da Itália, da Alemanha) pois apos um vírus entrar numa determinada população, ele vai acumulando mutações, e aos poucos vai diferindo da população a qual ele saiu. Então comparando vírus de populações diferentes, podemos traçar sua rota de dispersão.

    6. Como esta descoberta pode ajudar o Brasil e o mundo no combate ao coronavírus?
    O conhecimento do genoma do vírus possibilita o desenvolvimento de vacinas e medicamentos que possam ser utilizados na prevenção e no tratamento desse vírus.
    Além disso possibilita conhecer as rotas de transmissão desse vírus.

    7. Quais são os próximos passos da pesquisa?
    É necessário o monitoramento contínuo das eventuais alterações que esse vírus possa sofrer no sentido de compreender os rumos da epidemia. Além disso recursos financeiros deveriam ser destinados para o desenvolvimento dos processos acima mencionados: vacinas e medicamentos. O sequenciamento viral é apenas o início de um processo.

    8. A sequência analisada no Brasil apresenta diferenças em relação ao genoma identificado em Wuhan, o epicentro da epidemia na China?
    Sim, algumas, sendo, portanto, confirmado que o vírus não veio direto de lá para cá, mas sim, de países da Europa, que mostram sequencias genômicas mais semelhantes aos vírus daqui. Um deles era mais semelhante a vírus amostrados na Alemanha, e outro, na Inglaterra.

    9. Esta descoberta ajuda de que forma o Sistema Público de Saúde do nosso país?
    Como disse, anteriormente, no desenvolvimento dos processos acima mencionados: vacinas e medicamentos. O sequenciamento viral é apenas o início.
    10. Vocês sabem dizer se o vírus reage de forma diferente com nosso clima?
    De forma geral os vírus que causam doenças respiratórias se transmitem mais eficientemente no inverno. As aglomerações e maior possibilidade de contágio nessa época do ano, sem dúvida, favorecem a disseminação desses agentes.
    Não há dados específicos relativos a esse vírus em climas tropicais. Possivelmente deverá se comportar como os demais agentes de transmissão respiratória.

    Sequenciamento do coronavírus possibilita o desenvolvimento de vacinas

    A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu suspender, a partir desta segunda-feira, dia 16/3, por prazo indeterminado, as competições nacionais sob sua coordenação que estão em andamento: Copa do Brasil, Campeonatos Brasileiros Femininos A1 e A2, Campeonato Brasileiro Sub-17 e Copa do Brasil Sub-20.
    “Sabemos e assumimos a responsabilidade do futebol na luta contra a expansão da COVID-19 no Brasil”, afirma o presidente da CBF, Rogério Caboclo.
    Em relação aos campeonatos estaduais, as Federações Estaduais de futebol, entidades organizadoras, terão deliberações específicas para cada competição, sendo respeitada a sua autonomia local.
    A CBF seguirá em permanente contato com o Ministério da Saúde, unindo esforços para que o país e o esporte superem o grande desafio em relação à pandemia, torcendo para que, o quanto antes, possamos voltar à normalidade.

    CBF suspende competições de âmbito nacional por tempo indeterminado

    A pouco mais de um mês, um novo vírus foi classificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como emergência internacional.


    O coronavírus, ataca o sistema respiratório e se espalhou a partir da região de Wuhan, na China, onde os primeiros casos foram registrados.
    Segundo especialistas o vírus já existe desde meados de 1960, e pode causar desde resfriados até síndromes respiratórias mais graves.

    Ainda de acordo com pesquisas, a fonte primária do vírus foi o mercado de frutos do mar da cidade. De acordo com alguns pesquisadores, ele também pode ter se espalhado através de animais.

    Os casos suspeitos são aqueles que apresentam febres e tosse acompanhadas de problemas respiratórios. Além disso, ter viajado nos últimos 2 meses para a cidade de Wuhan ou ter mantido contato próximo com quem esteve recentemente na cidade ou em regiões de foco.
    É importante destacar que a pessoa contaminada pelo coronavírus pode apresentar sintomas variados, como infecções em vias aéreas superiores bem parecidas com um resfriado comum, pneumonia ou ainda, insuficiências respiratórias agudas.
    Fique atento: qualquer indício de dificuldade respiratória merece atenção especial, por se tratar de uma doença nova. Como ainda não existe nenhuma vacina ou antibiótico que previna a infecção, testes e estudos já estão sendo realizados em busca da cura.
    Porém até que isso ocorra e os quadros sejam revertidos, é preciso: Evitar viagens a regiões onde há focos de contágio, como forma de prevenir contaminações; Manter ambientes muito bem ventilados; Evitar contato próximo com pessoas doentes e que tenham infecção respiratória aguda; Lavar as mãos frequentemente com água e sabão; e ainda, se possível, fazer uso de um antisséptico para as mãos à base de álcool em gel.

    Principalmente depois de tossir ou espirrar e após passar por estabelecimentos ou transportes públicos; Usar lenços descartáveis para higiene nasal; Mantenha-se hidratado; Usar máscaras protetoras para o nariz e a boca, ou cobrir com um lenço de papel, o nariz e boca sempre que for espirrar ou tossir e depois descartar no lixo; Evitar tocar em olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas; Evitar compartilhar objetos de uso pessoal como copos, garrafas e talheres.
    Como você pode ver, os cuidados que você deve ter são os mesmos cuidados que tem para não contrair uma gripe, resfriado ou uma doença respiratória. No início da doença, não existe diferença dos sinais e sintomas de uma infecção pelo novo coronavírus em comparação com os demais vírus.

    Por isso, é importante ficar atento. Segundo os médicos, o tempo de exposição ao coronavírus e o início dos sintomas ocorrem no período de até duas semanas.
    Ainda de acordo com os pesquisadores da área, os sintomas e as complicações do novo vírus são mais comuns em pessoas acima dos 50 anos, crianças e pessoas com sistema imunológico baixo.
    Se você apresentar ou conhecer alguém com estes sintomas, procure um médico para analisar as causas, e fazer o tratamento correto, de acordo com o vírus detectado.

    POR NATUREBA - CURAS NATURAIS



    /span>

    CORONAVÍRUS: O QUE VOCÊ PRECISA SABER E COMO PREVENIR O CONTÁGIO


    A pandemia do novo coronavírus deixou mais de 5.000 mortos em todo o mundo e o número de infectados continua aumentando, enquanto os governantes reagem de maneiras diferentes à crise, que obriga milhões de pessoas a permanecer em suas casas e a mudar radicalmente os hábitos para evitar o contágio.
    Escolas, bares, museus e outros locais públicos permanecem fechados, as partidas de futebol e espetáculos artísticos foram adiados e até os funerais estão esvaziados. Milhões de pessoas cancelam viagens e limitam seus deslocamentos, enquanto os países buscam formas de blindagem.
    Com mais de 134.000 pessoas infectadas e mais de 5.040 mortes, a pandemia de COVID-19 não conhece fronteiras nem barreiras sociais e a cada dia afeta novos países e territórios. Entre os infectados estão ministros, atores e atletas de elite.
    “Esta é a crise de saúde mais grave em um século”, resumiu o presidente francês Emmanuel Macron.
    – Mudança no modo de vida –
    Na Espanha, segundo país da Europa mais afetado pela pandemia depois da Itália, as autoridades colocaram quatro localidades da região da Catalunha em quarentena e anunciaram o fechamento de escolas e universidades em todo o território.
    O país tem 4.200 casos e 120 mortes, de acordo com as autoridades.
    A epidemia mudou o modo de vida dos espanhóis, que passaram a evitar, por exemplo, o café no balcão dos bares.

    Na Itália, com 1.016 mortos e 15.113 casos, Roma virou uma cidade fantasma. Todos os estabelecimentos comerciais, exceto os considerados essenciais, estão fechados e os habitantes permanecem em suas casas. As igrejas permanecerão fechadas até 3 de abril.
    A França, com quase 3.000 infectados e 61 mortos, se unirá a partir de segunda-feira à lista de países que decidiram fechar todos os centros de ensino. Em um discurso, o presidente Emmanuel Macron anunciou medidas excepcionais, mas não suspendeu as eleições municipais de domingo.
    Outros países europeus, como Eslováquia e República Tcheca, fecharam as fronteiras e proibiram a entrada de turistas de determinados países.
    A comissária europeia de Assuntos Internos, Ylva Johansson, pediu aos países do continente medidas “coordenadas, operacionais, proporcionais e eficazes”.
    Na América Latina, países como Argentina, Chile, Colômbia, Venezuela ou Peru também decretaram o cancelamento de voos, quarentenas obrigatórias e restrições para os viajantes procedentes da Europa, China e outras zonas afetadas pela COVID-19. A região tem oficialmente três mortes e 270 casos da doença.
    – Bolsas em alta –
    Depois da hecatombe de quinta-feira nas Bolsas, quando os mercados europeus registraram quedas de até 17%, os piores resultados em décadas, os mercados operavam em alta nesta sexta-feira.
    A economia foi abalada pelo discurso do presidente Donald Trump, que proibiu temporariamente a entrada nos Estados Unidos de estrangeiros procedentes da Europa, assim como pelas medidas consideradas frágeis anunciadas pelo Banco Central Europeu (BCE), que não conseguiram injetar a calma necessária.
    O medo de uma recessão é grande e vários países anunciaram medidas financeiras excepcionais para combater o choque.
    A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, se comprometeu a adotar uma “flexibilidade máxima” nas regras orçamentárias e nas ajudas do Estado para auxiliar os países da União Europeia (UE).
    Uma conspiração? –
    Irritado com as menções ao “vírus chinês”, um porta-voz do ministério das Relações Exteriores afirmou no Twitter que o novo coronavírus não procede necessariamente da China e pode ser fruto de um complô.
    “É possível que o exército americano tenha sido o responsável por trazer a epidemia em Wuhan”, escreveu Zhao Lijian.

    “Estados Unidos devem ser transparentes! E devem publicar seus dados! 

    Estados Unidos nos devem uma explicação”, completou.
    Na China, ponto zero da pandemia, o número de infectados está em queda. Nesta sexta-feira foram registrados apenas oito casos, a menor quantidade em apenas um dia desde o início da publicação das estatísticas em janeiro.
    A vida volta pouco a pouco à normalidade no país, onde empresas e locais públicos são reabertos gradualmente.
    Mas fora da China a expansão continua: nesta sexta-feira a Índia registrou a primeira morte e o primeiro caso foi revelado no leste da África.
    A pandemia segue provocando uma série de cancelamentos ou adiamento no calendário esportivo.
    O Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1, que aconteceria no fim de semana em Melbourne, foi cancelado. A chama olímpica dos Jogos de Tóquio foi acesa na quinta-feira em Olímpia, na Grécia, mas o revezamento foi interrompido nesta sexta-feira em Atenas em função do grande público. O grande evento do esporte mundial, previsto para julho, está na corda bamba.
    Também nesta sexta-feira, o Nepal seguiu o exemplo da China e anunciou o fechamento do acesso ao Monte Everest.
    burs-bl/mar/fp/mr

    Número de mortes da pandemia de coronavírus supera 5.000 no mundo

    O presidente Jair Bolsonaro anunciou nas redes sociais, nesta sexta-feira (13), que não é portador do novo coronavírus.





    Na quinta-feira, Bolsonaro disse durante uma transmissão ao vivo no Facebook que saberia “nas próximas horas” se estava infectado pela COVID-19.
    Mais cedo, nesta sexta-feira, veículos de comunicação informaram que o primeiro teste do presidente tinha dado positivo e que o resultado da contra-prova era esperado para confirmar, ou descartar esse diagnóstico.
    Desde sua chegada ao poder em janeiro de 2019, Bolsonaro multiplica os ataques à imprensa brasileira, que ele acusa de travar uma campanha aberta contra seu governo.
    O presidente visitou os Estados Unidos entre o sábado passado e a terça-feira, e na sua comitiva estava o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, infectado pelo novo coronavírus.
    Na comitiva também estavam Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, e o ministro da Segurança Institucional, Augusto Heleno, cujos exames não revelaram a presença do coronavírus.
    A delegação foi integrada ainda pelo chanceler Ernesto Araújo e o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, assim como vários políticos e funcionários.
    O exame de Azevedo deu negativo, enquanto o resultado de Araújo sairá no sábado.

    Teste de Bolsonaro para coronavírus dá negativo

    Medida será adotada como ‘forma de prevenção


    Há 31 anos, o Domingão do Faustão surgia e com participação fundamental da plateia. Pela primeira vez, em três décadas no ar, a atração não terá a presença dos ‘companheiros’ de Fausto Silva.
    O objetivo da produção da TV Globo é evitar o contato entre pessoas e a proliferação do novo coronavírus. Nesta quarta-feira, 11, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia do covid-19 e o mundo entrou em estado de alerta.

    No Brasil, o número de pessoas infectadas por coronavírus dobrou desta quinta-feira para hoje. 
    A redação do E+ entrou em contato com a equipe de produção do Domingão do Faustão. Em nota oficial, a TV Globo confirmou a medida.
    “Como forma de prevenção ao coronavírus (covid-19), para garantir a segurança do público e dos funcionários, estamos avaliando o modelo e a própria participação de plateia e de figuração em nossos programas”, afirma o comunicado.

    Coronavírus: ‘Domingão do Faustão’ não terá plateia pela 1ª vez em 3 décadas

    Grupo liderado pelo Ministério da Economia também decidiu suspender a exigência de prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias



    Um grupo interministerial criado pelo governo federal decidiu nesta quinta-feira (12) antecipar para abril o pagamento da primeira parcela do 13º salário aos aposentados e pensionistas do INSS como parte das medidas para conter os efeitos econômicos da epidemia do coronavírus.
    O grupo liderado pelo Ministério da Economia, tem representantes das Secretarias Especiais e coordenado pelo secretário-executivo do ministério, Marcelo Guaranys.

    "Neste momento crítico, mesmo diante do exíguo espaço fiscal, o ministério buscará, em conjunto com a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, a realocação ágil de recursos orçamentários para que não falte suporte ao sistema de saúde brasileiro", afirmou o ministério em nota.
    Além da antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º aos beneficiários do INSS, num valor estimado em R$ 23 bilhões, o grupo também decidiu suspender a exigência de prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias e propôs reduzir o teto dos juros do empréstimo consignado para beneficiários do INSS e a ampliação do prazo máximo das operações.
    Foi decidido ainda, junto com o Ministério da Saúde, a definição de uma lista de produtos médicos e hospitalares importados que terão preferência tarifária e a prioridade do desembaraço aduaneiro para esses produtos.

    Governo antecipa 13º do INSS para combater efeitos do coronavírus

    Até a conclusão do exame, a recomendação é o presidente permanecer no Palácio do Alvorada




    O presidente da República, Jair Bolsonaro, realizou nesta quinta-feira, dia 12, o teste para o coronavírus Covid-19. O resultado sairá na sexta-feira, 13. O receio dos médicos é que o presidente possa ser assintomático, ou seja estar infectado, mas sem apresentar os sintomas.
    Até a conclusão do exame, a recomendação é o presidente permanecer no Palácio do Alvorada. Bolsonaro completa 65 anos no próximo dia 21. O exame foi realizado após o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, ter tido teste confirmado para a doença. Ele viajou com o presidente aos Estados Unidos e esteve boa parte do tempo ao seu lado.
    Outros integrantes da comitiva que viajaram para os Estados Unidos também estão sendo chamados para fazer o exame. Participaram da comitiva os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).
    Também viajaram os senadores Nelsinho Trad (PTB-MS) e Jorginho Mello (PL-SC); os deputados Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Daniel Freitas (PSL-SC), o assessor especial Filipe Martins, o presidente da Embratur, Gilson Machado, e o secretário especial de Pesca, Jorge Seif Jr., entre outros.
    Wajngarten e Bolsonaro estiveram com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no jantar em Mar-a-Lago, no sul da Flórida no sábado. Nesta quinta, Trump afirmou não estar preocupado.

    Bolsonaro faz teste para coronavírus, e resultado deve sair amanhã

    Casal está na Austrália para as gravações de um filme sobre Elvis Presley




    O ator norte-americano Tom Hanks e sua esposa, Rita Wilson, atestaram positivo para o novo coronavirus, segundo o site Deadline.
    Eles está na Austrália para as gravações de um filme sobre Elvis Presley.
    A própria estrela do cinema teria confirmado a informação. "Olha, pessoal. Rita e eu estamos aqui na Austrália. Nos sentimos um pouco cansados, com frio e com dores no corpo. Rita tinha uns calafrios que iam e vinham. Leves febres também. Para fazer tudo certo, como é preciso no mundo agora, fomos testados para o coronavírus, e o resultado foi positivo", escreveu Hanks.

    Tom Hanks e sua esposa, Rita Wilson, estão com coronavírus, diz site

    Redação Email:[email protected] Contato/ DDD 077 9 9117-0827